O ENCONTRO DE UM FOTÓGRAFO COM OS ZO´É, ETNIA ISOLADA DA AMAZÔNIA

Até os anos 80, o povo indígena Zo´é, do Pará, quase não havia tido contato com os kihari, palavra que eles usam para se referir aos não-índios. Ao fim daquela década, no entanto, eles encontravam-se numa situação aterrorizante, resultado da chegada de missionários da Missão NovasTribos do Brasil à aldeia, sem nenhuma prévia autorização. Doenças trazidas por eles desencadearam um alto índice de mortes entre os Zo´é, que naquela época não passavam de 147 pessoas. Diante da gravidade, em 1989 a FUNAI foi acionada de emergência. Era também o primeiro contato do órgão com a etnia. Para acompanhar a operação, foi contratado um jovem fotógrafo, na época com 24 anos. Rogério Assis desembarcou na aldeia com 4 rolos de filme preto-e-branco. Fez não só um registro magistral do momento, como também inédito daquele povo, que nunca havia sido fotografado.
  Vinte anos depois, em 2009, ele voltou à região para visitar a Frente de Proteção Etnoambiental Cuminapanema, mantida pela Funai para a preservação e isolamento da Terra Indígena Zo’é. O trabalho foi, mais uma vez, impecável e mostra os resultados dessa iniciativa: no cotidiano, no modo de vida, nas artes manuais, na integração com a natureza, na relação com os animais e entre as pessoas, na harmonia entre adultos e crianças. Um povo com sua cultura reintegrada, saudável, bonito e feliz.  Em 2010, Sebastião Salgado visitou os Zo´é para o projeto Gênesis. Em 2013, Rogério publicou o livro “Zo´é”, pela editora Terceiro Nome.

 Mulheres Zo´é, por Rogério Assis, no Acervo Compota (vendas@compotaonline.com.br)

 

 

Rogério Assis 

Fotógrafo profissional desde 1988, participou do staff da Agência Estado e da Folha. Foi editor para a América Latina da Starmedia Network e participou da criação do Fotosite. Graduou-se no laboratório de mídia digital do ICP (International Center of Photography) em Nova York e atualmente é Editor Executivo da Revista Pororoca.

CONHEÇA OUTRAS OBRAS DO AUTOR